Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘investimento público baixo’

A crise financeira global recolocou o investimento público no centro dos debates
econômicos. A defesa de sua expansão vigorosa como melhor mecanismo anticíclico se
tornou consenso. Mas no Brasil essa variável é problemática há alguns anos – desde a
crise de endividamento do Estado e do ajuste fiscal vigoroso para atender a sucessão de
crises externas. Os investimentos se tornaram variável de fecho dos orçamentos, e sem
maiores vinculações de receitas, sofreram forte e contínua redução, mesmo quando a
carga tributária e a despesa pública cresciam rápida e sucessivamente. Não faltaram
discursos governamentais prometendo recuperar os investimentos, como no caso mais
recente da priorização de obras federais por intermédio do Programa de Aceleração do
Crescimento (PAC). Por mais que tais gastos tenham crescido nos últimos anos, ainda
se está muito longe do padrão observado em outras econoO Bmias

PACO Brasil teve a segunda menor taxa de investimento público em relação ao tamanho da economia, entre 135 países em desenvolvimento, de 2000 a 2007. A exceção é 2003, quando os investimentos públicos brasileiros foram os menores do grupo (quando comparados ao valor total da produção, o Produto Interno Bruto).

O único governo, entre os países analisados, que investiu menos que o brasileiro foi o do Turcomenistão. Entre os investimentos públicos estão, por exemplo, importantes obras de infra-estrutura, como construção de estradas, essenciais para movimentar a economia do país.

Segundo os dados, do Fundo Monetário Internacional (FMI), nos oito anos analisados, o Brasil ficou muito abaixo da média de investimento público para os países em desenvolvimento. A média cresceu de 6,5% para 7,6% do PIB no período. A taxa brasileira, no melhor ano, 2002, nem chegou a 2% do PIB. A nossa média é 1,69% do PIB. Só para se ter uma idéia, a taxa chinesa é por volta de 20%.

O resultados não condizem com a alta carga de impostos (uma das maiores entre os emergentes) e os elevados gastos públicos (com salários, contratações, etc., mas não com investimentos).

Em artigo escrito em junho deste ano, os economistas José Roberto Afonso e Gabriel Junqueira alertam para os dados e afirmam que, embora a taxa de investimento tenha crescido nos últimos anos, ainda está muito longe do padrão observado em outras economias.

A situação é considerada mais grave neste momento, em que o aumento no investimento público é a forma mais aceita de proteger os países contra a crise econômica internacional. Segundo Afonso e Junqueira, “o enfrentamento da crise financeira global em pouco está mudando o baixo padrão de investimento público observado na economia brasileira nos últimos anos”.

De acordo com os autores, apesar do discurso de prioridade máxima ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os dados deste ano não mostram qualquer aumento mais expressivo da taxa de investimentos públicos.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 151 outros seguidores